terça-feira, abril 23, 2024

Empresa americana oferece ajuda gratuita a vítimas de cyberbullying

Com o objetivo de combater a violência virtual, ou o “cyberbullying”, dentro do Brasil, uma empresa de Miami está oferecendo ajuda gratuita às vítimas mensalmente. Na prática, a ação visa, quando possível, limpar o conteúdo falso sobre a vítima da web e disseminar blogs, sites e perfis de mídia social com amplo conteúdo positivo sobre o nome dos atingidos.

De acordo com o brasileiro Fernando Azevedo, CEO da empresa americana Y-Bus, todos os meses pelo menos uma dúzia de ligações de pessoas desesperadas são recebidas pela equipe. A maior parte das vítimas do bullying digital são crianças entre 11 e 13 anos, e, geralmente as ligações partem dos pais das vítimas.

Desta forma, a empresa, que é especializada em tecnologia web, incluindo Apps, E-Commerce, SEO, reputação online e Social Media Marketing, criou um programa que vai ajudar a quem está sendo vítima de acusações e difamações nas redes sociais. Uma vítima será escolhida mensalmente para que a empresa ofereça toda a estrutura para ajudar as famílias, crianças e adolescente.

A intenção é primeiro retirar da web todas as informações, fotos, notícias e acusações falsas sobre a vítima. Porém, a tarefa não é tão simples, já que depende do auxílio de administradores de páginas, redes sociais e sites. Sendo assim, a Y-Bus irá criar blogs, sites e perfis com conteúdo positivo sobre as vítimas, com o objetivo de fazer com que essa informação apareça primeiro nos resultados das buscas na internet, “empurrando” para baixo os locais com material maldoso e calunioso.

Orientação

Uma dica importante dada pela Y-Bus a quem está sendo vítima de algum ataque virtual é não comentar ou fazer qualquer clique sobre a postagem. O motivo é simples: o Facebook e outras redes sociais escolhem os conteúdos que vão compartilhar de acordo com a receptividade que aquele conteúdo teve. Desta forma, a solução é ignorar e realizar apenas a denúncia da postagem que está promovendo o ataque.

As vítimas interessadas na ajuda devem entrar no site e preencher um formulário. Todos serão analisados e um será selecionado por mês para receber a ajuda gratuita.

Informações Assessoria de Imprensa

DestaqueNotícias